February 03, 2010

Stupid Girl's Love Song

Certa vez eu me apaixonei por um homem o qual eu jamais poderia ter. Eu, que nunca fui dada a essas paixões instantâneas, enxerguei naquela pessoa algo de especial que há muito tempo não via em ninguém.

Eu conhecia a impossibilidade de tê-lo desde o princípio; também percebia os seus defeitos. Era escorregadio, inseguro, ridiculamente correto em algumas situações e claramente leviano em outras. Mentia como quem proferia as mais puras verdades. Escondia seu egoísmo por trás de uma máscara de gentilezas.

Nada disso, no entanto, me importava. A sua presença me trazia um frescor… uma plenitude inebriante. Tinha as mãos tão quentes que me remetiam à luz do sol numa manhã gelada, acalentando-me o rosto; tinha os cabelos tão suaves que me faltava coragem para tocá-los por muito tempo. Cheirava a gardênia, sândalo e serenidade… só por estar ao seu lado eu poderia descansar por mil anos… mas isso nunca aconteceria. Deixei então que passasse.

Àquele que me foi tão caro,
àquele a quem não fui grande coisa,
obrigada. Hoje sei, ao menos, que eu também posso sentir essas coisas ridículas.

No comments:

Post a Comment